Procedimentos

Com tecnologia e trabalho técnico é possível realizar sonhos!

Através de processos modernos nas mãos de profissionais extremamente qualificados, possibilitamos um mapeamento dos problemas detectados e desse modo realizar procedimentos que consigam reverter a situação da infertilidade. Venha para a GESTAR realizar seu sonho, pois faremos de tudo para que ele se torne real.

Veja abaixo os procedimentos que realizamos e conheça cada um deles:

Ao contrário da maioria dos exames de diagnóstico por imagem, a ultrassonografia é uma técnica que não emprega radiação ionizante para a formação da imagem. Na ultrassonografia são emitidas ondas de som em alta frequência (inaudíveis) que fazem os tecidos vibrarem, e essa vibração dos tecidos é captada pelo aparelho instantaneamente para a formação das imagens.

É um método de diagnóstico que produz em tempo real imagens em movimento das estruturas e órgãos do interior do corpo. Em virtude de ser um exame de realização muito simples, costuma ser usado para fins preventivos, diagnósticos ou como acompanhamento de tratamentos.

Tipos de Ultrassom Convencional (2D):

Medicina Interna: – abdominal total, aparelho urinário, próstata abdominal e transretal.

Ultrassonografia da Tireoide, mamária, transvaginal para controle de ovulação.

Ultrassonografia com Doppler Colorido de vasos e órgãos diversos.

Ultrassonografia Obstétrica convencional ou com Doppler Colorido e em 3D/4D.

Quando o ultrassom é indicado?

O exame é indicado como auxiliar diagnóstico em casos de queixas de dores, alterações na palpação de alguma região (um nódulo palpado no pescoço ou na mama), aumento do volume abdominal em curto período de tempo, alteração do exame de sangue (como alterações de marcadores tumorais, marcadores das funções do fígado ou dos rins) e outros. Além disso, é indicado para grávidas no acompanhamento do pré-natal.

Quando o ultrassom é contraindicado?

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, não existe nenhuma contraindicação absoluta à realização do ultrassom.

Qual o preparo do paciente para fazer um exame de ultrassom?

Pode variar dependendo do tipo de ultrassom. A avaliação do abdômen, por exemplo, necessita de seis horas de jejum para que a vesícula biliar se apresente adequadamente distendida e que não exista interposição de resíduos alimentares entre a parede do abdome e os órgãos profundos pâncreas/retroperitônio, além da necessidade da bexiga cheia para que os órgãos pélvicos possam ser avaliados (próstata e vesículas seminais/útero e ovários).

Outro exame que exige preparo é o estudo endovaginal para pesquisa de endometriose profunda, sendo necessário o uso de medicações laxativas e lavagem do reto (fleet-enema). Os demais estudos não requerem nenhum preparo específico.

A ultrassonografia transvaginal de rotina para controle da ovulação ou para estudo dos órgãos pélvicos também não necessita de preparo.

Na nossa clínica o resultado do exame é entregue à paciente logo após o término do exame, há não ser no caso da ultrassonografia seriada para controle da ovulação, o relatório será fornecido somente no final.

.

baixa complexidade. Durando o procedimento é introduzido uma quantidade de espermatozoides devidamente capacitados, através de um cateter, no interior do útero, em um momento o mais próximo possível da ovulação. O procedimento necessita de manipulação do sêmen em um laboratório de reprodução assistida especializado.

Principais indicações:

  • Oligospermia de leve a moderada intensidade;
  • Alterações no muco do colo uterino;
  • Dificuldades de ovulação;
  • Infertilidade idiopática ou ISCA (Infertilidade sem Causa Aparente).

VEJA AS ETAPAS DESTE PROCEDIMENTO REALIZADAS NA GESTAR:

Estimulação Ovariana /  Capacitação de Sêmen / Inseminação intrauterina

A taxa de sucesso desta técnica varia entre 10-17% por ciclo de tratamento e é amplamente influenciada pela idade da paciente e causa da infertilidade.

A Criopreservação (congelamento) de sêmen, para fins de preservação da fertilidade masculina, é proposto diante de uma situação de saúde que exija o uso de medicamentos ou procedimentos que possam causar dano à fertilidade futura.

Principais indicações:

– Pacientes que tem a necessidade de uso de quimioterapia ou radioterapia para tratamento de câncer de testículos, leucemias, linfomas e outros.

– Pacientes que vão se submeter a cirurgia com possível impacto sobre a fertilidade masculina. (Ex: cirurgia de bexiga, cirurgia de próstata e outros)

Consiste na realização de ultrassonografia transvaginal após injeção de solução salina (soro) na cavidade uterina e permite principalmente a avaliação da permeabilidade tubária, melhor caracterização de pólipos, miomas e outras patologias do endométrio (porção interna do útero).
Não requer jejum e o mesmo é desaconselhado neste exame. Deve acompanhar pedido médico e indicação precisa.


Não esqueça de levar seus exames anteriores no dia do exame.

Principais indicações:

Infertilidade por suspeita de causa uterina

A Fertilização in-vitro ou FIV consiste em facilitar a fecundação do óvulo pelo espermatozoide em laboratório, através da técnica FIV convencional  ou da técnica de ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoides). Este procedimento é realizado com a utilização de equipamentos especiais, dentro do laboratório de FIV, sob condições ambientais finamente controladas de temperatura, umidade, concentração de oxigênio, concentração de gás carbônico, entre outros.

Após a ocorrência da fecundação no laboratório, os embriões gerados são transferidos para o útero. No interior da cavidade uterina, os embriões poderão apresentar uma implantação bem-sucedida e o desenvolvimento da gravidez.

As etapas da FIV/ICSI são: 

 Estimulação ovariana / Coleta dos óvulos / Capacitação dos espermatozoides / Fecundação dos óvulos / Transferência dos embriões para o útero

Principais indicações:

  • Oligospermia severa;
  • Azoospermia (necessário doação de sêmen)
  • Infertilidade idiopática ou ISCA (Infertilidade sem Causa Aparente).
  • Paciente com trompas obstruídas
  • Paciente com má formação uterina (pode ser necessário útero de substituição)
  • Idade avançada ou incapacidade de produção de óvulos (necessário doação de óvulos)

O congelamento de embriões é realizado quando ele não pode ser transferido a fresco após uma FIV. Em alguns casos como: análise genética pré implantacional ou excedente de embriões.  O número de embriões a ser transferido para o útero da paciente na etapa final da Fertilização “In Vitro” é limitado pela idade da paciente. O objetivo do controle do número de embriões transferidos é evitar a gestação gemelar.

 

Determinações de acordo com a idade:

 

Mulheres até 35 anos: até 2 embriões;

Mulheres entre 36 e 39 anos: até 3 embriões;

Mulheres com 40 anos ou mais: até 4 embriões.

Os embriões viáveis e com potencial de desenvolvimento que não foram transferidos ao útero devem ser congelados (Resolução do Conselho Federal de Medicina nº 2.121/2015).

Principais indicações:

– Pacientes que o tratamento produz um número de embriões maior do que o que pode ser transferido para o útero.

– Pacientes tem risco de síndrome de hiperestimulação ovariana, desenvolvimento inadequado do endométrio durante o tratamento.

– análise genética pré implantacional

O espermograma é o principal exame para avaliação da fertilidade masculina. Nesse exame, são avaliados inicialmente o volume, o pH e a liquefação do sêmen. Em seguida, avalia-se concentração, motilidade (movimentação) e morfologia (forma) dos espermatozoides.

O resultado do espermograma pode revelar alterações na concentração (oligospermia), na motilidade (astenospermia) e na morfologia (teratospermia) dos espermatozoides. Dessa forma, o espermograma orienta o médico em sua decisão sobre qual tratamento deve ser realizado. Todo espermograma alterado deve ser realizado novo exame para confirmar a alteração. Em casos de resultados discordantes, deve ser solicitado um terceiro espermograma. Pacientes com alteração do espermograma devem ser encaminhados ao andrologista para avaliação e exame clínico na tentativa de se estabelecer um diagnóstico.
Espermograma realizado individualmente e manualmente são os mais confiáveis por apresentar a realidade da condição espermática do paciente, em detrimento aos realizados de forma automatizada.

Capacitação Espermática
A técnica de capacitação do sêmen é um exame complementar ao espermograma que têm como objetivo identificar, selecionar e aumentar a motilidade dos espermatozoides e com isso facilitar a penetração no óvulo.

Preparo:

– Abstinência sexual e masturbatória entre 3 e 5 dias

Principais indicações:

– Avaliação da causa masculina na infertilidade

A criopreservação (congelamento) de óvulos é uma técnica proposta para a preservação da fertilidade feminina. O objetivo é a obtenção de gametas femininos (óvulos) a partir dos ovários, os quais poderão ser utilizados no futuro para a realização de Fertilização “In Vitro”, com a finalidade de obtenção de gestação.

Principais indicações:

– Pacientes que apresentam doenças clínicas importantes (Ex: câncer de mama, linfomas, leucemias) e que serão submetidas a tratamentos tóxicos para os ovários (quimioterapia, radioterapia, cirurgias).

– Pacientes que já apresentam diminuição da reserva ovariana e serão submetidas a procedimento cirúrgico com risco de perda da função ovariana (Ex: cirurgias para retirada de endometriomas ou cistos ovarianos).

– Preservação social da fertilidade: situação em que a paciente gostaria de preservar os óvulos para uso posterior devido ao seu projeto de gestação mais tardia.

Análise genética essencialmente tem dois propósitos principais. Seu primeiro objetivo é determinar se um indivíduo deve prosseguir com o teste genético, que irá determinar de forma mais conclusiva a presença de uma doença rara.

O segundo objetivo é ajudar os pesquisadores e geneticistas a entender mais sobre as mutações genéticas e as causas das doenças raras. Isso é especialmente importante para melhorar a taxa de diagnóstico preciso para pacientes com doenças raras.